top of page

Como reinventar seu negócio em tempos de Incerteza



Com o objetivo de mergulhar em temas atuais relacionados ao universo do empreendedorismo e do mundo dos negócios, foi lançado o livro “A Virada – Como Reinventar Seu Negócio Em Tempos de Incerteza”. A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por especialistas do Sistema Sebrae em assuntos como liderança, transformação digital, futurismo, mercado digital, ESG, e-commerce, branding, inovação, entre outros. O prefácio da obra é assinado por Luiza Trajano, presidente do Conselho de Administração da Magazine Luiza.


A ideia de produzir a publicação partiu da iniciativa do assessor da presidência do Conselho Deliberativo Nacional do Sebrae, André Spínola, responsável pela coordenação do livro que chega ao mercado do Brasil e de Portugal pela editora Lisbon International Press. Segundo ele, o título da obra remete ao momento atual que exige uma nova postura dos empreendedores diante da velocidade das mudanças na sociedade.


“Como tudo hoje acontece muito rápido, haja vista o impacto da pandemia que trouxe um momento de incerteza muito grande, além de estarmos na era da transformação digital, é preciso que os empresários estejam preparados para se reinventar e se deparar com cenários disruptivos que demandam cada vez mais agilidade e uso de tecnologia no dia a dia”, explicou Spínola.


A publicação conta ainda com a participação de Ivan Tonet, Andrezza Torres, Israel Jorge, Anny Pricyla Tonet, Gustavo Cezário, Vinícius Bastos, Ana Cláudia Rizzi, Andreza Capelo, Cecília Miranda e Roberto Marinho.


A Agência Sebrae de Notícias (ASN) conversou com André Spínola que também é autor do artigo “Construindo uma liderança de alta performance na era da transformação digital”. Segundo ele, a pandemia da Covid-19 é um exemplo claro de que quem já estava inserido no fluxo da mudança teve menos dificuldades para enfrentar os desafios.


Confira abaixo a entrevista:


Qual é o objetivo principal do livro “A Virada – Como Reinventar Seu Negócio Em Tempos de Incerteza”?

O livro não é um manual, mas um mergulho em temas que são fundamentais na atualidade. A ideia é que o leitor possa destravar o interesse, desmitificar alguns assuntos, quebrar preconceitos, acionar gatilhos importantes para – a partir disso – o empreendedor poder implementar mudanças competitivas relevantes e duradouras


O que você recomenda aos empreendedores diante de um novo cenário, ou melhor, de uma era de transformação digital?

Eu costumo dizer que a transformação digital é um fluxo contínuo cada vez mais acelerado, como se fosse uma esteira que está ligada e não para. O desafio é subir nesta esteira e se manter de pé. Para isso, é preciso ter uma postura de liderança, na concepção mais potente da palavra. É trazer pessoas com um propósito comum, onde o digital é pano de fundo e onde todos crescem em uma perspectiva de 360º. No meu artigo, eu falo de liderança exponencial que é justamente liderar continua e exponencialmente para acompanhar esse movimento.


Como você avalia a transformação digital dos pequenos negócios no Brasil?

É preciso diferenciar transformação digital de aperfeiçoamento digital. A transformação digital está muito longe da maioria das empresas brasileiras, pois ela requer um mindset, ou seja, uma mentalidade de pensar digital, de saber como se manter em pé em cima dessa esteira que eu mencionei, seja inovando um pouquinho a cada dia e promovendo inovações mais densas em pontos específicos. Já o aperfeiçoamento digital é mais ligado às melhorias pontuais e esparsas, sem uma estratégia clara, como o uso de softwares da moda ou ter um site para a empresa, por exemplo.


Qual seria o maior desafio para o empreendedor que está começando hoje?

É ele se construir como uma liderança empreendedora voltada para a transformação digital. Hoje não é mais suficiente fazer um plano de negócios lindo e maravilhoso, ter um time de bons colaboradores, ser empático e estudioso. Se você não tiver o digital na essência do seu negócio, você corre o risco de jogar uma loteria todo o dia em termos de sobrevivência da empresa. O digital deve estar na operação cotidiana, ser uma jornada de aperfeiçoamentos que não tem fim.


FONTE: VAREJO S.A

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page