Buscar
  • Comunicação ACE Itaúna

Fampe já concedeu aval para mais de R$ 1,6 bilhão em crédito para pequenos negócios


Até o dia 26 de junho, a parceria entre o Sebrae e a Caixa Econômica Federal, que tem como objetivo ampliar o acesso dos pequenos negócios a crédito, por meio do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe), já havia ultrapassado a marca de R$ 1,6 bilhão em empréstimos concedidos. Gerido pelo Sebrae, o fundo atua como garantidor das operações de crédito realizadas pelas instituições financeiras credenciadas. Desde que o acordo entre Sebrae e Caixa foi firmado, em 20 de abril, já foram realizados mais de 21 mil contratos pelos pequenos negócios.


“Infelizmente, nossas pesquisas mostram que, apesar de estar disponível nos bancos, o crédito não chega aos empresários. E o Fampe funciona como um alento para oferecer a garantia que eles precisam”, analisa o presidente do Sebrae, Carlos Melles.


O volume de negócios realizados nos últimos meses tem demonstrado que o Fampe tem sido de grande importância para as micro e pequenas empresas, em um momento em que o país atravessa uma grave crise econômica causada pelo novo coronavírus. No início de junho, o volume de contratos firmados era de 12,6 mil, atingindo no final do mesmo mês a marca de 21.062 contratos. Essas ações de crédito somaram mais de R$1,6 bilhão. Além de disponibilizar o Fampe, o Sebrae também oferece toda assistência aos empreendedores desde o início do processo de acesso ao crédito até sua liquidação. A expectativa da instituição é de, até o final do ano, as operações de socorro aos pequenos negócios na crise do coronavírus permitirão a concessão de aproximadamente R$ 7,5 bilhões em crédito, com o aval do Fundo.


Confira seis dicas práticas para facilitar o acesso ao crédito durante a crise


Segundo o especialista de Capitalização e Serviços Financeiros do Sebrae, Giovanni Beviláqua, apesar da sensação de escassez em relação ao crédito no Brasil, há um movimento de crescimento na concessão de empréstimos. “Por causa da pandemia houve um aumento da demanda, justificado até mesmo pela interrupção dos negócios e a necessidade de capital de giro por parte das pequenas empresas que, não podemos esquecer, correspondem a 99% das empresas no país, um grande contingente de mais de 17 milhões de empreendimentos”, comenta.


Beviláqua observou que antes de buscar empréstimos os empreendedores precisam conhecer a fundo seu negócio. “O crédito hoje é uma dívida amanhã, por isso ele deve ser muito bem avaliado. Aí entra o papel do Sebrae para orientar, da melhor maneira possível, fazendo com que o gestor tome suas decisões com a certeza de que conseguirá manter a saúde da empresa”, afirmou.


O analista de Capitalização e Serviços Financeiros do Sebrae, Adalberto Luiz acrescentou que os pequenos negócios receberam 24% só no primeiro trimestre de 2020 do montante emprestado pelos bancos em 2020. “Muitos microempreendedores já conseguiram crédito e muitos outros estão em processo de solicitação. O Sebrae atua fortalecendo os pequenos negócios para que eles se tornem agentes do próprio desenvolvimento ao acessar os empréstimos”, comentou.


Atenção as dicas para quem quer fazer um empréstimo para sua empresa: 1- Tenha uma boa gestão financeira: um exemplo muito comum é quando o empreendedor está sem capital de giro para pagar suas contas e o estoque de mercadorias está cheio. Precisa fazer empréstimo? Talvez. Tente primeiro dar vazão aos produtos com uma promoção bem divulgada nos meios de comunicação da empresa.


2- Identifique a necessidade real de crédito: conheça a sua empresa com riqueza de detalhes. Estude suas finanças, coloque tudo no papel. Às vezes, com um bom serviço de consultoria, a possibilidade de empréstimo é descartada.


3- Analise os possíveis fatores de restrição: eventualmente o empreendedor está negativado por alguma dívida pequena e quando ele vai buscar o crédito direto no banco o pedido é negado. O dono do pequeno negócio precisa estar livre de qualquer fatore restritivo para ter êxito na solicitação de crédito.


4- Busque informações sobre os bancos: habitualmente os empresários buscam os bancos com os quais já possuem relacionamento, sem antes consultar as condições em outras instituições financeiras. É fundamental pesquisar.


5- Faça um documento com informações principais: é necessário visualizar qual a real necessidade do crédito. Para ter clareza nas decisões, nesse documento deve constar o valor limite das prestações que o empreendedor pode pagar. Isso vai facilitar na hora de fechar contrato com os bancos.


6- Efetue o pedido de financiamento: com todo o preparo, vá em busca do seu crédito com assertividade. Caso um banco negue o crédito, tente em outro local. Há também as outras possibilidades de empréstimos junto às cooperativas, fintechs de crédito e empresas simples de crédito. Não desista.


Fonte: Agência Sebrae de Notícias do site FCDL

0 visualização
Acompanhe nossas Redes Sociais:
  • Facebook
  • Instagram
  • YouTube
© Todos os direitos reservados | Comunicação ACE Itaúna 2020.